Seja bem-vindo !!!

Seja bem-vindo !!!

sábado, 27 de setembro de 2014

O poder de Shakti


                                                                      Shakti

SHAKTI significa o princípio feminino, os aspectos femininos em todos os níveis e dimensões; o aspecto do poder interior, poder da consciência, poder planetário, cósmico, Absoluto.

Shakti é vida, é energia, é matéria, é a força pré-existente e existente que manifesta, emana, plasma, ancora, aterra. 


É o poder de criação, sustentação e transformação. Shakti é o poder divino, feminino, que tanto desperta a consciência, como manifesta a consciência.

Shakti é a expressão, a realidade de uma e de todas as possibilidades.

Shakti é a polaridade feminina do Absoluto, o princípio feminino eterno.

Shakti é a força, o poder da existência e também da transcendência.

Shakti é a essência, a verdadeira expressão da mulher, mas que precisa ser reconhecida, revelada, para que a mulher possa expressá-la. 


Shakti é a verdadeira feminilidade que deve ser a expressão, a realidade da mulher, para, assim, Shakti ser despertada (reconhecida, integrada) em todos os seres senscientes e em toda a Terra.

Assim, Shakti também é a mulher desperta, liberta, autorealizada e iluminada.”

Shakti representa as deusas mais importantes do panteão hindu, Shakti significa a energia, o poder, o feminino divino. 


Shakti é adorada, como deusa, por milhões de pessoas em toda a Índia.

Shakti também siginifica a esposa ou consorte dos deuses hindu. Ela respresenta o poder dos deuses.

Shakti é a mesma que Shekinah, ela manifesta-se como Sophia, como Maria, como Prajna e Dakini.

Shakti significa a força cósmica vital, é também a própria Mãe Terra. É a vida que o sol nos oferece.

Shakti assume muitas formas e nomes.

Ela é muito conhecida em sua manifestação como a consorte de Shiva, princípio e deus da transformação ou destruição (quando algo precisa ser destruído para que o novo e melhor seja construído) e do rejuvenescimento. 


Como Parvati, ela é honrada como a deusa mãe cuja união com Shiva produziu dois filhos: Skanda (Kartikeya), que conquistou o demônio Taraka, e Ganesha, que se tornou o deus com cabeça de elefante de sabedoria, sorte, abundância. 


Parvati simboliza a fertilidade, a felicidade conjugal, a devoção, o poder e a entrega totalmente a divindade.

Shakti também aparece sob o disfarce de Durga, Shakti é um guerreiro feroz que mata o demônio Mahisasur assim muitas outras criaturas do mal.

Como um aspecto mais poderoso, Shakti emana-se como Kali é uma outra forma de Shakti que é adorado em toda a Índia.

 Kali, cujo nome é comumente traduzido como “a negra”, é a deusa negra da transformação e destruição. 

Kali é poderosa! Famosa por lutar Raktavija, o chefe de um exército de demônios. 

Ela também usa um colar de crânios humanos. Na tradição hindu, esses símbolos que ela apresenta, simbolizam a natureza destrutiva e temporário da vida; a impermanência. 

Assim, ela é a porta para além do tempo-espaço, a compreensão e a libertação da ignorância sobre o mundo das realidades efêmeras.

 Seus seguidores devotos também acreditam que ela os protege tanto na Terra e na vida futura e ajuda no caminho à vida desperta.

Shakti é a totalidade do arquétipo feminino. Shakti é alma, é todo o poder de realização do espírito ou consciência suprema!

Shakti é o aspecto feminino do self ou Atma. 

Shakti é a energia ou força psíquica, mental e espiritual que tanto manifesta os planos da existência, como ajuda a compreendê-los a dominá-los, e, assim despertar para a verdade suprema.

Shakti é a mãe, é irmã, é a consorte/esposa, é a rainha, é a sacerdotisa, é a mulher desperta, é a deusa, é iluminada.

Shakti é a sacerdotisa e rainha da terra e das estrelas, é a mulher liberta e iluminada!

fonte :http://www.shakti.com.br/

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Lisa Thiel




Lisa Theil é  uma  artista visionária cujas músicas e cantos curadores estão entre os mais populares do movimento espiritual das mulheres de hoje.

Originalmente uma profissional de cura holística em Los Angeles, Califórnia, Lisa começou criando sua música como expressão e veículo para seu próprio processo de crescimento e transformação pessoal.

Seu trajeto espiritual conduziu-lhe estudar muitas das tradições espirituais do mundo e seus professores eram iogues, xamãs, lamas tibetanos e mulheres sábias da tradição da Deusa. 

A linha de conexão era a prática de música sagrada para cura e energização, e uma ênfase no Sagrado Feminino encontrada em todas as tradições, de uma forma ou de outra. 

O resultado é uma música vital e autêntica que ressoa com a energia de suas experiências. 


As canções de Lisa são literalmente canções de cura xamânica (de medicina) que tocaram na vida de incontáveis mulheres de uma maneira profunda.

sábado, 13 de setembro de 2014

Faça uso de sua Vassoura de Bruxa

   
A pessoa invejosa saiu de sua casa ou negócio, passe a vassoura no percurso que a pessoa fez ao sair, e mande a energia ruim com este invejoso.


Esta sentindo qualquer energia ruim em sua casa, varra a casa toda com sua vassoura (novamente, sem encostar no chão…) de traz para frente, e diga em voz alta, ao jogar estas energias pela porta da frente,


 “Saiam do meu Lar!”

Esta na “fossa”? – Dance, dance e cante, segurando sua vassoura, e pode ser com música ou sem, sinta que a vassoura retira sua tristeza e joga bem distante de você.

Se deixá-la em seu quarto ao dormir, ela vai te levar onde desejar em seus sonhos.


Ela te protegerá sempre, e eliminará energias ruins de sua casa, seu negócio e do seu corpo também, então…

Trate-a bem!

Se quiser, beije-a, abrace-a e converse com ela, e se alguém ver você fazer isso e te achar louca, pelo menos você será uma louca feliz e energizada.


Voem Bruxas! Voem!!! 

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

IRENA SENDLER MORREU...VOCÊ SABE QUEM ELA ERA?


Nem sempre o prêmio é atribuído a quem mais o merece...
Irena Sendler

Uma senhora de 98 anos chamada Irena faleceu há pouco tempo.
Durante a 2ª Guerra Mundial, Irena conseguiu uma autorização para trabalhar no Gueto de Varsóvia, como especialista de canalizações.
Mas os seus planos iam mais além... Sabia quais eram os planos dos nazistas relativamente aos judeus (sendo alemã!)

Irena trazia crianças escondidas no fundo da sua caixa de ferramentas e levava um saco de sarapilheira na parte de trás da sua caminhoneta (para crianças de maior tamanho). 

Também levava na parte de trás da caminhoneta um cão a quem ensinara a ladrar aos soldados nazis quando entrava e saia do Gueto.

Claro que os soldados não queriam nada com o cão e o ladrar deste encobriria qualquer ruído que os meninos pudessem fazer.
Enquanto conseguiu manter este trabalho, conseguiu retirar e salvar cerca de 2500 crianças.

Por fim os nazistas apanharam-na e partiram-lhe ambas as pernas, braços e prenderam-na brutalmente.

Irena mantinha um registo com o nome de todas as crianças que conseguiu retirar do Gueto, que guardava num frasco de vidro enterrado debaixo de uma árvore no seu jardim.
Depois de terminada a guerra tentou localizar os pais que tivessem sobrevivido e reunir a família.

 A maioria tinha sido levada para as câmaras de gás. Para aqueles que tinham perdido os pais ajudou a encontrar casas de acolhimento ou pais adotivos.

No ano passado foi proposta para receber o Prêmio Nobel da Paz... mas não foi selecionada.


 Quem o recebeu foi Al Gore por uns dispositivos sobre o Aquecimento Global.

Não permitamos que alguma vez esta Senhora seja esquecida!!

Estou transportando o meu grão de areia, reenviando esta mensagem.

 Espero que faça o mesmo.

Passaram já mais de 60 anos, desde que terminou a 2ª Guerra Mundial na Europa. 

Este e-mail está se reenviando como uma cadeia comemorativa, em memória dos 6 milhões de judeus, 20 milhões de russos, 10 milhões de cristãos e 1.900 sacerdotes católicos que foram assassinados, massacrados, violados, mortos à fome e humilhados com os povos da Alemanha e Rússia olhando para o outro lado.

Agora, mais do que nunca, com o Iraque, Irã e outros proclamando que O Holocausto é um mito, é imperativo assegurar que o Mundo nunca esqueça.

sábado, 2 de agosto de 2014

Imbolc



         IMBOLC

 É celebrado em 01 agosto no Hemisfério Sul e 02 de fevereiro no Hemisfério Norte.

A Palavra Imbolc significa “no leite” e marcava o período de lactação das ovelhas e gados na Europa.

Era o momento mais frio do ano onde não existia mais lenha disponível para as fogueiras, tão comuns nas celebrações dos Sabbats maiores.

Elas então tomavam forma nas procissões de velas, que percorriam o arado para purificar a terra para
o plantio das novas sementes.

Este também era o dia consagrado à Brigit, a Deusa celta do fogo, lar e família.

Ela também era uma Deusa da cura e fertilidade.

As muitas velas representavam o poder e a luz do sol que se aproximava com a chegada da primavera.

Um costume tradicional deste Sabbat é colher um ramo verde e deixá-lo pendurado em algum lugar dentro de casa para abençoá-la com novas energias.

Imbolc é o festival que celebra a luz nas trevas.

É o momento ideal de banirmos nossos remorsos, culpas e planejarmos o futuro.


 A Deusa está cuidando de seu bebê, a Criança do Sol (o Deus).

Ela e seu filho afastam o inverno e o Deus cresce forte e poderoso.

Nessa celebração a Deusa Brigit, Senhora do Fogo, da vida e do conhecimento era honrada e todos agradeciam por Ela ter mantido o Fogo das lareiras aceso durante as noites escuras e frias do inverno.

TEMA DO SABBAT:

Este é o Sabbat que honra a Deusa como a noiva que espera o retorno do Deus Sol.

Na Irlanda é um dia especial para honrar a Deusa Brigit em seu aspecto de noiva.

Os Celtas revestiam pequenas bonecas de pano com grãos e as fixavam em um lugar de honra dentro das casas como, por exemplo, em seus altares ou sobre as lareiras.

Normalmente, elas eram colocadas em berços chamados de Camas de Noiva, símbolos de fertilidade..

Fonte : Wicca para todos (Claudiney Prieto )

Imbolc (1 de fevereiro Hemisfério Norte , 1 de agosto Hemisfério Sul )


Os solstícios e equinócios marcam o auge das estações, apesar de serem atualmente considerados como o início destas. 

Assim, o sabá Imbolc comemora a chegada da primavera e o final do inverno. 

Temos ainda as noites mais longas que os dias, mas o ciclo de aquecimento, a metade clara do ano, já começou.

O Imbolc é o festival do fogo, representando o Deus que começa a crescer e, com o seu calor, prepara a fertilidade da terra.

 Entre os Celtas, comemorava-se a Deusa Brigid,divindade do fogo, com procissões onde os participantes portavam tochas.

 Tradicionalmente, também, fazia-se (e faz-se) a limpeza ritual dos locais de culto, simbolizando que as reminiscências negativas do ciclo anterior deviam ser apagadas, para que um novo ciclo de vida instale-se.

Em relação a este sabá, várias considerações interessantes podem ser feitas. 

Da deusa Brigid diz-se que teria nascido exatamente ao nascer do sol, e uma grande torre de chamas teria se elevado aos céus do topo de sua cabeça.

 Diz-se também que sua respiração traria nova vida para os mortos. Eis aqui claras alusões ao retorno do sol, após o inverno. 

É interessante também notar que aproximadamente nesta data os Astecas celebravam o seu ano-novo, onde vemos mais uma alusão a um período de reinícios.

 A alegria pelo final do inverno também transparecia nas Lupercalia romanas, que vieram depois dar origem ao Carnaval. 

Comemorado no hemisfério norte a 2 de fevereiro, essa data ficou marcada para a cristandade como a purificação de Maria - a idéia da limpeza ritual - e como a apresentação.de Jesus no Templo - a idéia do Deus que deixa a infância - em mais uma tradução cristã dos ritos pagãos.

Retirado de: www.mitoemagia.hpg.com.br

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Ancestrais


As minhas Ancestrais eu saúdo
As minhas Ancestrais eu honro
As nossas ancestrais eu chamo
As Curandeiras, Parteiras, Rezadeiras, Benzedeiras
Mulheres de força, fibra, garra e determinação.

Fazem da erva, o remédio
do Chá, o calmante
do Banho, a Limpeza
Nos campos, nas cidades
nas casas, nas colinas
Sãos Elas as donas da Sabedoria

Rostos marcados pelas histórias da Vida,
Em suas mãos um terço, no seu pescoço um patuá
No seu peito a FÉ.


São elas as senhoras da fala mansa, do punho determinado e da força de vontade,
Com humildade nos deixam os ensinamentos aprendidos na escola da Vida.
A melhor professora: "A Grande Mãe".

Com seu novelo de lã, nos ensinam  o tecer dos sonhos,
Com seu compartilhar, nos ofertam a possibilidade de fazermos cada dia um Novo Amanhecer.


São elas as senhoras que há tempos nos mostram... o verdadeiro sentido contido na palavra MULHER !


Caroline Ienne

sábado, 26 de abril de 2014

Afrodite





Amada Afrodite,

Deusa do amor.

Bela Deusa que à todos encanta

com o seu fascínio e beleza.

Hoje e sempre honro e reverencio a ti,

amada Deusa.

Deusa do mais puro amor, que se manifesta

em tua verdade plena, sem máscaras ou véus.

Me acalenta neste teu mar de amor.

Abençoa a minha alma.

Cura as minhas feridas de agora e de outrora.

Liberta meu ventre da dor, o envolvendo com

o seu mais puro amor.

Alimenta meu coração com a tua chama rosa, de

amor infinito.

Cura a imagem que tenho de mim mesma para que eu

me veja bela e liberta de todo medo e dor.

Cura a minha voz, para que ela seja profundamente

amorosa, e para que eu diga, as minhas verdades de

forma clara e repleta de amor.

Cura todas as minhas memórias em amor.

Cura a minha vida em teu amor.

Amada Deusa.

Que o meu feminino seja revigorado e embalado no

bálsamo da tua energia tão envolvente e amorosa.

Amada Mãe do amor... Esteja comigo, seja em mim,

por mim e através de mim...

Que a luz venusiana me envolva e irradie em minha vida,

em meu caminhar.

Afrodite Amor, tira do meu ser todas as marcas e julgamentos

que impedem a manifestação plena do meu feminino e do meu ser

pleno...

Amo-te Afrodite.

Amo a quem você é, portanto, amo a mim mesma.

E em nome do amor, me comprometo a levar a tua luz,

as tuas palavras e teu nome a tudo e a todos diariamente

em minha vida..

Gratidão Afrodite.

Gratidão!

Esta oração tem o propósito de curar o feminino sagrado através da energia da Deusa Afrodite.
 
Repita por 21 dias e comente suas impressões.

Texto de: Ciranda Da Lua

Deusa Mãe

 


A Ti, Ó Mãe Terra ofereço minha alma e meu amor.

A Ti, Ó Deusa Sagrada, Criadora de todas as coisas
Mãe de Tudo o que Há.

Doadora da Vida, que a partir do Caos criou a Luz e a Harmonia.

Mãe é Teu Nome Sagrado que Invoco neste momento, em que busco Teu divino olhar.

Que a Tua Voz vibre na minha garganta ,que Sua Voz vibre e ressoe através da voz de todas as Tuas Filhas, Tuas Sacerdotisas que lhe servem e lhe amam.

Mãe Negra do Tempo, Face que esta por detrás de todas as formas ,Nos Te imploramos a Sua bênção, a Sua Força diante de todas as injustiças e blasfêmias feitas a Ti e as Tuas Filhas.

Zelai por nós Mãe Terra

Que Assim seja

A magia das poções

                  

                                   Poções Mágicas

*1-Para que servem as poções?

As poções são recursos da magia que estão disponíveis para qualquer praticante de magia que queira beneficiar-se delas. 

As poções podem ser usadas em diversas ocasiões; para diversos fins. 

Desde atrair uma pessoa até matar um inimigo estão entre as funções de uma poção.

 Com o aperfeiçoamento de um praticante de magia na arte de preparar poções, seu poder aumenta consideravelmente e as forças da Natureza tornam-se seus aliados. 

As poções não devem ser usadas banalmente, mas sim em momentos realmente necessários. 

Um bruxo deve usar as poções como “instrumentos equilibradores”, ou seja, recursos para ativar ou equilibrar determinadas energias que encontram-se em excesso ou em falta. 

Por exemplo, se você está muito apático ou indiferente, uma poção com energia de marte é uma ótima solução para seu problema! 

Se você precisa abrir seus caminhos amorosos, use uma poção que ative essa energia! 

Só não vale ficar desequilibado, né!

*2-Tipos de poções:

Existem vários tipos de poções que podem ser diferenciadas a partir da maneira como são preparadas ou usadas .

Veja a seguir alguns tipos de poções:

#Poções para ingestão:

•São todas as poções que podem ser ingeridas. Ex: Chás; sucos; sopas; cremes; melados;pós comestíveis;etc.


#Poções/ Inaladores:

•São poções que bastam ser inaladas para que façam efeito. Podem ser inaladas por quem a faz ou por quem pretende-se encantar. 

Ex: Perfumes; vapores aromáticos; etc.

#Poções/ Banhos:

•São poções que se usam sob forma de banhos.


#Poções/ Lava-pés:

•Poções preparadas exclusivamente para energizar os pés.

#Poções/ Aspersores:

•São aquelas poções que usamos aspergindo por todo o ambiente que está sendo encantado.

Geralmente são poções para exorcismos, que são usadas para limpeza astral; mas também podem ser poções de amor, que são aspergidas no local de um encontro.

#Poções Solúveis:

•São aquelas geralmente preparadas com uma concentração muito grande de ingredientes e que podem ser misturadas à perfumes, óleos , produtos de limpeza e diversos outros preparados.


#Poções/ Perfumes:


•Podem ser águas de cheiro, perfumes ou óleos aromáticos que se usam no corpo para obter determinada finalidade ou atrair energias ou entidades específicas.





*O Contexto Preparatório de uma Poção:

Dicas:

Durante o preparo de uma poção mágica devem ser observados diversos detalhes que, se bem trabalhados, podem fazer toda a diferença!!! 

Quando for preparar uma poção, é importante observar a influência astrológica do momento.

 O dia, o horário, a fase da Lua e outros fatores astrológicos podem ser decisivos para a eficácia de um preparo mágico, por isso é muito melhor colocar todos esses fatores a seu favor! 

Não são só os fatores astrológicos que influem nas poções, mas também diversos outros detalhes; esses sub detalhes podem ser divididos em :


*Detalhes maiores:São fatores que tem grande influência sobre o preparo da poção. 

A colheita dos ingredientes utilizados; o estado de espírito no momento do preparo, o ambiente onde se prepara a poção, a forma como se mexe a poção, a maneira como ela é preparada, etc.

*Detalhes menores: Apesar de serem cuidados secundários, não deixam de ser importantes, pois podem fortalecer consideravelmente a eficácia da poção.

São detalhes como acender uma vela ou um incenso durante o preparo; vestir uma roupa ritualística ou com cor astrológica favorável; banhar-se com água energizada, etc.



*E as ervas! Ferver ou não ferver? Eis a questão!!!
Há muita divergência de opiniões quando o assunto é “fervura de ervas na magia”. 

Alguns místicos acreditam que ervas mágicas jamais devem ser fervidas, pois suas propriedades são perdidas ou porque “as plantas” (espíritos vegetais) ficam ofendidas quando fervemos suas partes. 

Até certo ponto isso tem um pingo de verdade. 

Através de experiências própias posso afirmar que as ervas podem sim ser fervidas; porém, isso depende de quais ervas trabalhamos e do estado em que estas ervas se encontram!

Ervas frescas não devem ser fervidas, pois liberam suas propiedades sem precisar de fervura.

 No caso de ervas secas, a fervura é uma espécie de “despertador”, que libera as propiedades dormentes na erva! 

No caso de flores frescas, jamais ferva, pois as fadas vegetais acompanham as suas flores até que estas sequem. 

Quando as flores estiverem secas, pode ferver, mas lembre-se de dizer a frase abaixo(ou algo parecido):


Que as fadas despertem a magia desta(s) flor(es)!Que assim seja e assim se faça!


*O horário do preparo

Ao preparar qualquer poção mágica, baseie-se na Tabela de horários planetários, que pode ser facilmente encontrada.

 Quando você precisar preparar uma poção urgentemente e não puder fazer isso em um momento astrológico favorável, então procure falar sempre esta frase antes do preparo:

"Que todas as correspondências astrológicas estejam corretas para este trabalho mágico."


#Use a tabela de horários e dias mágicos de acordo com a intenção da poção que você for fazer.

 Ex:Poções para o amor no horário de Vênus ou da Lua; poções para coragem no horário de Marte, etc.

*O significado de cada horário

Cada astro influencia de maneira diferente na magia das poções, por isso é importante conhecer as áreas em que cada planeta interfere. 

Veja:

#SOL: Influencia em magias ligadas ao brilho pessoal, fama, fortuna, prosperidade, luz e banimento das trevas, etc.

#LUA: Influencia tudo o que diz respeito a magia, mistério, ocultismo, viagens ,ondinas , sonhos, mudanças, vidência, sentimentos, etc.

#MARTE: Influência sobre assuntos ligados a lutas(judiciais, contra uma doença ,contra uma entidade...), batalhas, conquistas, coragem , iniciativas, ousadia, ânimo, etc.

#MERCÚRIO: Influi em magias que beneficiem a mente, que envolvam intelectualidade, estudos, projetos,dinamismo, criatividade, coisas escritas, etc.


#JÚPITER: Influi sobre assuntos financeiros, negócios, prosperidade, abundância, crescimento, dinheiro, fertilidade, etc.

#VÊNUS: Possui forte influência sobre assuntos amorosos, uniões, casamentos, afeição, carinho, sensualidade, sexualidade, procriação, fertilidade,etc.

#SATURNO: Interfere em coisas que tenham natureza durável, coisas fixas, casas, terrenos, etc. Saturno também é conhecido por influir fortemente em magia negra, sexo carnal, etc.

*As Fases da Lua

Outro detalhe a ser analisado na hora do preparo das poções é a fase da Lua, pois segundo a astrologia cada fase influi de maneira diferente na magia. 

Veja a seguir qual fase é melhor para o preparo da sua poção:

#LUA NOVA: Período propício para magias que envolvam estudos, pesquisas, atividades em grupo, concentração, meditação, auto-conhecimento, novas idéias, crescimento, expansão, emprego, etc.

#LUA CRESCENTE: Magias que favoreçam desenvolvimento, crescimento, prosperidade, expansão, adiantamentos, começos, etc.

#LUA CHEIA: Ótima para lançar magias de amor, de fertilidade e obtenção de luz. A Lua Cheia é uma fase especial em que todo tipo de magia tem seu efeito potencializado.

#LUA MINGUANTE: Bom período para acabar relacionamentos e situações. 

Momento de dissipar energias; desintegração, reflexão, exorcismos, etc. 

Durante a Lua Minguante não é aconselhável realizar nenhum tipo de magia relacionado a construção, amor, dinheiro, etc.

*A Colheita dos Ingredientes:



Para que o poder de sua poção seja potencializado é importante ter alguns cuidados com os ingredientes utilizados. 

Quando for usar ervas, procure saber a procedência, o horário da colheita, etc.

 Ervas ficam mais potentes quando colhidas no horário do seu regente astrológico, por isso procure colhê-las você mesmo (quando possível) ou ao menos tente obtê-las procurando saber sua procedência.

*O Estado de Espírito:

Um detalhe importantíssimo na hora de preparar uma poção é o estado de espírito de quem a prepara. 

O estado de espírito de quem faz a poção tem considerável influência sobre o efeito da magia, por isso é importante estar em equilíbrio com a energia com a qual se está trabalhando. 

Se for uma poção para destruição, sinta Raiva, ódio, sentimentos destrutivos...Se for uma poção para o amor, visualize momentos de carinho, amor, etc...

*O Ambiente:

Algo que não pode ser esquecido durante o preparo da poção é o ambiente onde ela é feita.

 O preparo deve ser feito em um ambiente com vibrações semelhantes ao efeito desejado para a sua poção. 

Se for uma poção maléfica para morte, faça ela em um ambiente mórbido. 

Se for uma poção de equilíbrio, faça ela em um ambiente agradável. 

Vários detalhes compõem um ambiente na hora do preparo de uma poção.

-Velas: Acenda uma durante o preparo. Cores e formas variam de acordo com o objetivo.

-Incensos:

 É sempre bom para invocar energias que se deseja para fortalecer a poção.

 Os aromas variam de acordo com a finalidade da poção.

*Como se Mexe a Poção!

Até isso! Você deve estar pensando! Pois é, até a forma como a poção é mexida pode influir em seus efeitos!

#Quando mexer no sentido horário?

Poções para construção, aquisição, crescimento, benefícios, banimentos pela energia benéfica, etc.

#Quando mexer no sentido Anti-horário?

Poções para términos, destruição, poções de vingança, magia negra, banimentos pela força, etc.


*Os instrumentos:

Para o preparo de poções mágicas os bruxos costumam montar seu próprio “Laboratório de alquimia”, que pode ser bem simples, mas facilita bastante a vida de quem faz poções. 

Veja alguns instrumentos que podem “fazer a diferença” na hora do preparo!

-O CALDEIRÃO: Esse é indispensável, deve ser de barro,ferro, vidro, ágata ou cerâmica. 

Caldeirões de alumínio não são usados em magia, mas alguns bruxos utilizam ele com bons resultados depois de “consagrados e encantados”.

-O RALADOR: Um “bichinho” que facilita pra caramba na hora de pinicar rizomas e bulbos como o gengibre e outras ervas que precisam passar por tal processo.

-O PILÃO: O pilão é um instrumento com um buraco e com um pau onde você pode meter várias coisas.

 Pare de rir!

 No pilão, você pode macerar com mais facilidade ervas e pode preparar ungentos e pós com muito mais comodidade! Bendita bruxaria moderna!

-A COLHER DE PAU: 

Como a colher de alumínio(a mais comum) é acusada de interferir na magia da poção, então a solução é ter uma colher de pau, que é neutra! 

Ah! Nem pense em consagrar colher de alumínio para usá-la!

Deixe de ser pobre e compre uma colher de pau que é baratinha!

-PENEIRA: É ótima para coar as poções, tem quem prefira os filtros de papel para este mesmo fim.

-FILTROS DE PAPEL: Tem a mesma função de uma peneira convencional, mas filtra muito melhor e é muito mais prática.


*O que deve ter no laboratório de alquimia do feitor de poções mágicas ? !

É fácil montar um pequeno “laboratório de alquimia”, se não puder expor suas práticas mágicas, guarde seus estoques de objetos mágicos em caixotes de madeira ou papelão (como eu fazia para esconder minhas ervas e especiarias da mamãe!!!).

 Veja algumas “coisinhas” básicas que é sempre bom para um bruxo ter em seu “laboratório”.

ESSÊNCIAS – INGREDIENTES RAROS – GARRAFINHAS ESTERILIZADAS - ERVAS DE TODOS OS TIPOS - VELAS E INCENSOS –CONDIMENTOS – ÁGUA DA CHUVA -INSTRUMENTOS.


Fonte Blog Herbologia Mistica.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Ritual de Visão


                                Ritual de Visão

O ponto vermelho que as mulheres indianas pintam no seu terceiro olho é um símbolo do sangue menstrual. 

Originalmente, as mulheres pintavam o seu terceiro olho com o própria sangue menstrual e a magia do sangue abria o sexto chacra (centro energético associado a visão espiritual e psíquica).

O aspecto visionário da menstruação esta claramente invocado por esta prática. 

O sangue transporta-o até as células do corpo e por isso o sangue contem o conhecimento do código genético (ADN). 

O código genético e a linhagem familiar estão contidos na corrente sanguínea. 

Cada célula do corpo é um microcosmo do todo.

Quando pintamos o nosso terceiro olho com o nosso sangue, abrimo-nos ao conhecimento oculto de este código genético. 

Esta informação inclui um profundo conhecimento ancestral e pode trazer uma compreensão dos nossos próprios padrões familiares e os do género humano.

Todos trazemos dentro o conhecimento de todas as gerações de seres humanos que existiram.

 Oculta neste código genético há uma massa de informação reunida através da história.

 Ocasionalmente, a informação fica adormecida e as vezes deseja aflorar de novo.

 Estamos vivendo uma época em que o conhecimento da terra e da mulher, esta regressando a consciência colectiva e através do nosso sangue podemos entrar nela.

A próxima vez que sangrares, tenta relacionar-te conscientemente com o teu sangue. 

Tenta pintar um pequeno ponto vermelho entre os teus olhos e observa como o conhecimento da terra e dos teus ancestrais flui até a tua consciência.

 Pinta um ponto vermelho no teu terceiro olho antes de ir dormir para aumentar os teus sonhos.

Extracto do livro "Her blood is gold" de Lara Owen
(tradução Aida Suárez)

domingo, 13 de abril de 2014

Rituais



A palavra Ritual vem do latim Ritualis, e pode ser compreendido como sinônimo de Cerimônia. 

Também significa o conjunto de determinadas práticas que devem ser precisamente seguidas em ocasiões específicas. 

Numa conotação Ocultista, o Ritual é associado à práticas e cerimônias religiosas ou místicas, que podem ser realizadas de forma individual ou coletiva.

 Neste caso, o Ritual possui duas classificações principais: o Ritual Cerimonial e o Ritual Psíquico.

No Ritual Cerimonial, são necessários vestimentas, instrumentos e materiais específicos. 

Geralmente são coordenados por uma pessoa (no caso de ser praticado de forma coletiva) ou apenas segue a orientação de um determinado livro (neste caso, praticado individualmente).

 Este tipo de Ritual é comum nas religiões pagãs e de origem africana, e visa operar mudanças no campo físico.

A segunda modalidade ritualística é conhecida como Ritual Psíquico, na qual desenvolve-se principalmente através da psique e do intelecto do praticante. 

É uma forma de Magia Natural; é uma projeção mental (visualização) enviada ao Universo com o objetivo de efetuar mudanças no campo físico. 

Esse tipo de ritual é, geralmente, praticado individualmente por aqueles que iniciam os estudos ocultistas sem fazerem parte de um grupo (seita, coven, etc).

De qualquer forma, os rituais são poderosas e importantes ferramentas que devem ser utilizadas com responsabilidade e consciência. 

Os Rituais acionam e interferem em energias naturais; criam, alteram ou desencadeiam forças no campo físico, espiritual e astral. 

Portanto, é aconselhável que o praticante tenha um conhecimento prévio do que irá executar. 

Apesar das técnicas parecerem muito simples, são eficientes. Mas para que a magia funcione, alguns fatores devem ser observados:

                          Simbolismo

O subconsciente opera através de símbolos, por isso é importante gravá-los nas velas, em talismãs e objetos mágicos.

                          Visualização

Ao realizar um feitiço deve-se mentalizar a concretização dos desejos.

                         Concentração

É o ato de reter um pensamento, imagem ou figura na mente de forma ininterrupta.

                        O Poder da Palavra

Tudo deve ser verbalizado para que possa surtir efeito.

                         Mão do Poder

Usa-se principalmente a mão com a qual se escreve, pois é através dela que os poderes são liberados.

                         Círculo Mágico

Os rituais realizados no interior do Círculo Mágico terão as energias intensificadas.
 Ao finalizá-lo, deve-se fechar o Círculo.



sexta-feira, 11 de abril de 2014

As Senhoras do Destino (Moiras , Parcas e Nornes )


Fiar e tecer são antigas artes mágicas femininas e aparecem nos mitos de várias deusas como expressão dos Seus poderes proféticos, criativos e sustentadores dos ciclos lunares, das estações e da vida humana.

 Tendo o fuso como símbolo de poder, a Deusa como Fonte Criadora controlava e mantinha a ordem cósmica, os ciclos naturais e a continuidade do mundo.

 Fiar é um processo cíclico assim como também é a alternância das fases lunares, das estações, da vida e da morte, do início e do fim. 

Inúmeros mitos descrevem deusas tecendo com fios sutis o céu, o mar, as nuvens, o tempo, os elementos da natureza, os ciclos e os destinos dos seres humanos. 

Na mitologia grega, as moiras eram as três irmãs que determinavam o destino, tanto dos deuses, quanto dos seres humanos.

Eram três mulheres lúgubres, responsáveis por fabricar, tecer e cortar aquilo que seria o fio da vida de todos os indivíduos.

 Durante o trabalho, as moiras fazem uso da roda da fortuna, que é o tear utilizado para se tecer os fios. 

As voltas da roda posicionam o fio do indivíduo em sua parte mais privilegiada ( o topo) ou em sua parte menos desejável ( o fundo), explicando assim os períodos de boa ou má sorte de todos.

 As três deusas decidiam o destino individual dos antigos gregos, e criaram Têmis, Nêmessis e as Erínias.

Pertenciam à primeira geração divina ( os deuses primordiais), e assim como Nix, eram domadoras de deuses e homens.

As moiras eram filhas de Nix.

Moira, no singular, era inicialmente o destino.

 Na Ilíada, representava uma lei que pairava sobre deuses e homens, pois nem Zeus estava autorizado a transgredi-la sem interferir na harmonia cósmica. Na Odisséia aparecem as Fiandeiras. 

O mito grego predominou entre os humanos a tal ponto que os nomes das divindades caíram em desuso. 

Entre eles eram conhecidas por Parcas, chamadas de Nona, Décima e Morta, que tinham respectivamente as funções de presidir a gestação e o nascimento, o crescimento e desenvolvimento, e o final da vida; a morte; entretanto, era apenas sobre os humanos.

Os poetas da antigüidade descreviam as moiras como donzelas de aspecto sinistro, de grandes dentes e longas unhas.

Nas artes plásticas, ao contrário, aparecem representadas como lindas donzelas.

 As moiras eram chamadas também de Cloto, em grego significa "fiar", segurava o fuso e tecia o fio da vida. Junto de Ilítia, Ártemis e Hécate. Cloto atuava como deusa dos nascimentos e partos.

Láquesis, em grego, significa "sortear", puxava e enrolava o fio tecido.

 Láquesis atuava junto com Tique, Pluto e Moros, sorteando o quinhão de atribuições que se ganhava em vida.


Átropos, em grego, significa "afastar", ela cortava o fio da vida. Átropos, juntamente a Tânatos, Queres e Moros determinavam o fim da vida.

As Senhoras do Destino de várias tradições - conhecidas como as Parcas gregas, as Moiras romanas, as Nornes nórdicas ou as Rodjenice eslavas - tinham como símbolo mágico o fuso, a roda de fiar, os fios e a tessitura. 


Elas fiavam, mediam e cortavam o fio da vida, entoando canções que prediziam os destinos dos recém nascidos e apareciam como deusas tríplices ou tríades de deusas idosas, envoltas por mantos com capuz ou vestidas de branco, preto ou com idades diferenciadas pelas cores das suas roupas (branco, vermelho, preto).

As tríades fiandeiras Moiras (gregas), Parcas (romanas) e Nornes (nórdicas) eram ao mesmo tempo poderosas e terríveis, normalmente representadas nas figuras da virgem, da mãe e da anciã (Tríplices Deusas).

 Entre as Nornes, a virgem Skuld era a responsável pelas profecias e adivinhações, a guardiã do futuro, assim como Nona (grega) a que tece o fio da vida, cabendo as duas outras, a tarefa de manter e cortar o fio da vida. 

Os meses do calendário atual foram adaptados do antigo calendário lunar. 

Para os romanos, eram chamadas de Parcas e o significado do nome das Parcas vem do verbo parir, dar à luz.

A gravidez humana dura nove luas e não nove meses.

 Portanto, a Nona lua, é a Parca que tece o fio da vida no útero materno.

No antigo calendário romano, Dezembro era o décimo mês chamado de Decem, uma homenagem à deusa Décima, uma das Senhoras do Destino.

 A Décima lua, é a do nascimento, o cordão umbilical sendo cortado, o começo de uma vida terrena. 

Morta, é a Parca que preside a outra extremidade da vida, o próprio fim que pode acontecer a qualquer momento.

 Conta-se que elas eram cegas.

Na Índia, a trindade de Shaktis: Saraswati, Lakshimi e Kali encarnam estas energias. Na África encontramos as Ìyá Mi Osorongà, as mães feiticeiras, como as senhoras do destino. 

Entre as Deusas tecelãs, a anciã Ixchel, Deusa Maia da lua, que tecendo no seu tear de cintura, é capaz de conceder respostas a seus discípulos em peregrinação ao seu oráculo situado numa ilha distante da costa. 

E a Deusa indígena hopi Kokyang Wuhti, conhecida também como mulher -aranha, que através do seu dom profético protege e auxilia todos seres.

Para servir precisa abrir o coração com a vontade de contribuir com a beleza, a plenitude e a alegria do trabalho bem feito, em benefício de outras irmãs e da Terra, oferecendo à Deusa a sua gratidão e o seu amor, sem esperar em troca reconhecimento, recompensas ou sucesso, com a certeza de ter cumprido a sua missão espiritual e evolutiva nesta encarnação.